Desembarcaram nesta noite no Aeroporto Aluízio Alves os paratletas potiguares medalhistas das Paralimpíadas de Tókio

O Rio Grande do Norte encerrou a sua participação nos Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020. Ao todo, foram conquistados um ouro, três pratas e dois bronzes. A nossa melhor campanha estadual continua sendo nos Jogos do Rio, em 2016, quando conquistou nove medalhas para o Brasil.

Destaque para Jardênia Felix, que, com 17 anos e na sua primeira participação em Paralimpíada, conquistou uma medalha de bronze. Grande fenômeno da competição, a velocista mais jovem do atletismo brasileiro nos Jogos Paralímpicos de Tóquio registrou o tempo de 57s43, a melhor marca da carreira da brasileira nos 400m (classe T20).

Além de Jardênia, nomes já consagrados, como as multimedalhistas Joana Neves, da natação, e Thalita Simplício, do atletismo, não decepcionaram e trouxeram medalhas: uma de bronze e duas de prata, respectivamente.

Já Cecilia Araújo ficou na segunda colocação nos 50m livre (classe S8). É a primeira medalha da nadadora em uma Paralimpíada. A medalha de ouro potiguar veio com Romário Marques, capitão da seleção masculina de Goalball. O atleta, inclusive, marcou um gol na vitória brasileira em cima da China por 7 a 2, na finalíssima que trouxe a medalha inédita para o Brasil.

NovoNotícias