CPI da Covid aprova convocação de Ana Cristina Valle, ex-esposa de Bolsonaro

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19 aprovou, nesta quarta-feira, 15, a convocação de Ana Cristina Siqueira Valle, ex-esposa do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), para prestar depoimento à comissão. A data da oitiva ainda não está definida. O único a divergir da convocação foi o senador governista Marcos Rogério (DEM-RO).

Durante o depoimento desta quarta-feira, o lobista da Precisa Medicamentos, Marconny Ribeiro Faria, confirmou a forte relação com Ana Cristina e com o filho 04 do presidente, Jair Renan. Aos senadores, o lobista afirmou que comemorou aniversário no camarote de Renan, no estádio Mané Garrincha, e que jantou com ele e Cristina.

De acordo com mensagens eletrônicas obtidas pela comissão, a ex-esposa do presidente é suspeita de tentar “exercer influência” para a nomeação de Leonardo Cardoso de Magalhães ao cargo de Defensor Público-Geral da União. O pedido da nomeação teria sido feito pelo lobista Marconny Faria, investigado pela comissão.

Em e-mail enviado ao então ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Jorge Oliveira, Ana Cristina Siqueira Valle argumenta que Leonardo Magalhães “é um candidato alinhado com os nossos valores, técnico e apoiador do Jair”. Ainda de acordo com a mensagem, “os outros dois candidatos são de esquerda”. Jorge Oliveira hoje ocupa o cargo de ministro do Tribunal de Contas da União (TCU).

Em seu requerimento, Vireira lembra que Marconny Faria atuou como lobista da Precisa Medicamentos. A empresa é investigada pela CPI da Pandemia por irregularidades na compra da vacina indiana Covaxin. “A relação próxima com a ex-esposa do sr. Jair Bolsonaro deve ser amplamente esclarecida, com vistas a examinar potencial atuação ilícita de ambos no contexto da pandemia”, disse. 

O Povo

Qual sua opinião?