Brasil já registrou mais de 61,3 mil denúncias de violência contra a pessoa idosa

Na última sexta-feira,1º de outubro, foi celebrado o Dia Internacional do Idoso. A data foi instituída pela Organização das Nações Unidas (ONU) no ano de 1991, com o objetivo de sensibilizar a sociedade para as questões do envelhecimento, dando ênfase à necessidade de proteção e de cuidados para com essa parcela da população. E a preocupação com essa problemática tem fundamento.

Os números reforçam a importância da proteção da chamada “terceira idade”. Segundo dados da Ouvidoria Nacional dos Direitos Humanos (ONDH), até o final de setembro de 2021, foram registradas mais de 61,3 mil denúncias de violência contra a pessoa idosa pelo Disque 100.

Somente no Rio Grande do Norte, apenas nos cinco primeiros meses incompletos deste ano, dados do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, disponibilizados ao público no Painel de Dados da Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos, dão conta de 648 denúncias e 2.748 violações contra idosos no estado potiguar.

O RN figura no levantamento na 13ª posição, dentre as 27 unidades federativas. São Paulo lidera o ranking com mais de oito mil denúncias de violência contra essa parcela da sociedade. O mapeamento mostra também que a casa onde reside a vítima e/ou o autor da violência predomina dentre os locais das ocorrências. Os dados revelam ainda o cenário de violência contra a pessoa idosa no RN durante o decorrer do ano passado.