Queda de avião particular do Bradesco deixa quatro pessoas mortas

Local da queda do avião e os dois executivos mortos

Os quatros passageiros que estavam no avião do Bradesco morreram após a aeronave cair em Guarda-Mor, na divisa com Catalão, em Goiás, na noite desta terça-feira (10/11). Estavam no jatinho o vice-presidente do Banco Bradesco, Marco Antônio Rossi, o presidente do Bradesco Vida e Previdência, Lúcio Flávio Condurú de Oliveira, o piloto e o copiloto – que ainda não tiveram os nomes divulgados. A morte de Rossi ocorre menos de dois anos antes de ele assumir o controle da empresa, situação prevista para 2017.

O avião saiu do Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek às 18h39, rumo a Congonhas, em São Paulo. Segundo o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), equipes foram encaminhadas ao local para trabalhar em conjunto com o Corpo de Bombeiros de Goiás. O Citation VII teria sumido do radar da Força Aérea Brasileira (FAB) às 19h04.

A queda do jato abriu uma cratera de cinco metros no chão, segundo informações do Corpo de Bombeiros do local. “Estava tudo destruído. O maior pedaço que sobrou deve ter o tamanho de uma geladeira pequena. Quando cheguei havia muito fogo e não dava pra chegar perto”, disse o gerente da fazenda Limoeiro da Samambaia, José Camilo Resende, de 55 anos, um dos primeiros a chegar no local. “A aeronave caiu em um pasto de gado da fazenda e abriu uma cratera de cerca de 12 metros de diâmetro”, completou.

Correio Braziliense