RN registra síndrome inflamatória em crianças após infecção pelo novo Coronavírus

A secretaria de Estado de Saúde Pública (Sesap) registrou 10 casos de crianças diagnosticas com síndrome inflamatória multissistêmica – doença de pós-infecção ligada diretamente a Covid-19.

Os diagnósticos foram realizados no Hospital Maria Alice Fernandes, em Natal. Embora essa doença afete crianças e jovens de 0 a 19 anos, os 10 casos confirmados até agora pela Sesap são de crianças. O sintoma principal apresentado pelos pacientes foi febre persistente, acima de três dias de duração. Das 10 pacientes diagnosticadas, nove receberam alta e uma continua sob acompanhamento.

Em 15 de maio, a Organização Mundial de Saúde (OMS) emitiu comunicado alertando sobre a síndrome inflamatória relacionada ao Coronavírus. A doença é grave, requer cuidados intensivos e pode ser fatal. Os sintomas incluem alergia, problemas cardíacos e de coagulação no sangue, vômito, diarreia e dor abdominal.

A subcoordenadora de vigilância em saúde Alessandra Luchessi afirmou que é necessário seguir com a atenção redobrada, por se tratar de uma nova doença:

“A Covid-19 é uma doença nova e ainda em investigação. Há agora uma preocupação dos Governo Estadual e Federal para a síndrome inflamatória multissistêmica pediátrica associada à Covid. Essa síndrome pode acometer crianças e jovens de zero a 19 anos de idade com marcadores inflamatórios, febre e complicações cardíacas após infecção pelo novo Coronavírus “, esclareceu.

Luchessi aproveitou para ressaltar a importância da vigilância constante do pais, principalmente pelo fato do estado ter apresentado casos confirmados:

“A população deve ficar atenta a sintomas como febre persistente, acima de três dias de duração. Nestes casos, os pais devem procurar atendimento médico. Já temos casos diagnosticados no Rio Grande do Norte que foram atendidos no Hospital Maria Alice Fernandes, em Natal”, informou.

A subcoordenadora chamou atenção dos municípios para esse ponto e ressaltou que o Governo do Estado permanece em articulação para que sejam definidas as ações de acordo com a realidade de cada localidade:

“Ao longo desse processo a gente vem destacando a importância da informação, da articulação do governo do RN com todos os municípios e é necessário que isso permaneça acontecendo de forma efetiva. A necessidade da chegada da informação até as autoridades de saúde pública tem sido o foco do trabalho da vigilância epidemiológica, da coordenação de promoção à saúde”, esclareceu.

Portal SaibaMais