Prefeito de Ielmo Marinho diz que sindicato usa atraso de parte de pagamento para movimento político

De acordo com o prefeito de Ielmo Marinho, o médico Cássio Cavalcante, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação (Sinte), no município, usa inverdade e atraso de parte de pagamento para um movimento político.

Segundo ele, o Sinte tem mostrado intolerância e faz discursos agressivos com conotações políticas. “Há inverdades ao povo quando fala em relação ao atraso salarial de mais de 60 dias e que não sabe onde o prefeito coloca o recurso do FUNDEB”.

Nessa sexta-feira, lembrou Cássio, cidadãos foram em frente a sua casa, trazendo crianças menores de idade e chamando a imprensa, na tentativa de legitimar o movimento “que parece mais político que do trabalhador”. Para o prefeito, informações e números falsos tentam desmoralizar a gestão atual.

O chefe de executivo municipal afirma que todo o salário dos efetivos da educação do mês de setembro estão quitadas. “Se for pelo raciocínio de que a prefeitura tem até o 5º dia útil do mês subsequente ao trabalhado para pagar (sexta-feira) – dia da manifestação que o sindicato afirma estar há 63 dias em atraso – não havia nenhum dia de atraso. “Isso sem contar que o salário de alguns profissionais de educação estavam já com o mês de outubro nas suas contas”.

Outra informação descartada, repetida várias vezes pelos filiados do Sinte, lembrou Cássio, é que não sabem onde está sendo colocado o recurso da educação. Diante disso, ele observa que, na última reunião com a categoria, foi entregue o extrato da conta do FUNDEB aos diretores do sindicato, mostrando que esse recurso estava sendo usado em 95% para pagar a folha e a Prefeitura sempre se dispôs a atender a todos os pedidos da classe com transparência e boa vontade.

Ainda de acordo com o prefeito, “quando falamos de conotações políticas, mostramos que infiltrado nesse movimento, existem professores e profissionais de educação e até mesmo pessoas que não tem nada a ver com a categoria, filiados a partidos políticos ligados à oposição. Há profissionais de educação ligados ao PSB, suplentes de vereadores ligado ao PP e simpatizantes, professores e apoio ligado ao PL e radicais de esquerda, ligado também a partidos de oposição que maculam o movimento sindical com a sua parcialidade, usando recursos do sindicato para divulgar sua ideologia política partidária”, revelou Cássio.

Mesmo assim, frisou o prefeito, ele nunca deixou de tentar dialogar com todos. “Se eu soubesse que eles vinham até minha casa, tinha esperado e tratado todos bem, como já fiz e recebi para tratar de reivindicações da categoria, mostrando a nossa boa vontade de atualizar, ainda este mês, o pagamento de todos os profissionais da educação. Estou e sempre estive aberto ao diálogo. Uma pena que o Sinte de Ielmo Marinho tenha outras intenções”.

Blog do BG

Qual sua opinião?