“Mães de Braços Vazios” recebem homenagem da Câmara Municipal de Natal

“Tem um ditado que diz quem a boca do meu filho beija, a minha adoça. Então hoje nós vamos receber uma homenagem para as mães, mas em nome dos filhos. Por que os nossos filhos foram embora e a cidade se quer se preocupou em dizer nada e Câmara Municipal hoje em uma atitude inédita faz esse reparo, congratulando os filhos pelo tempo que eles estiveram em vida aqui”, ressaltou a Karla Álvares, mãe Maria Karoline Álvares de Melo, de 19 anos, que foi vítima de um crime durante um assalto, em janeiro de 2016, na Avenida Itapetinga, na zona Norte de Natal. Ela está à frente de um grupo de mães que perderam os filhos vítimas da violência aqui na capital conhecido como “Mães de Braços Vazios”. Dezoito mães estiveram presentes e receberam uma homenagem do legislativo municipal, na noite desta quinta-feira (16).

A solenidade foi proposição do vereador Fúlvio Saulo (SD), que ressaltou a importância de se homenagear essas mães. “As Mães dos Braços Vazios estão sendo homenageadas por essa luta. São mães que perderam os filhos para a violência urbana e transformaram essa dor imensurável em uma luta, que é fazer com que outras mães não percam os seus filhos para as drogas, para a violência e marginalidade. Então elas se uniram e buscaram nos filhos essa inspiração tão magnífica”, disse.

Mãe de João Maria Avundano Garcia, dona Eleneide Avundano recebeu a homenagem da vereadora Ana Paula (DC). Ela teve o filho assassinado dentro de casa no bairro Planalto, zona Oeste da capital em dezembro de 2017. Emocionada ela agradeceu pela lembrança. “Hoje aqui homenageando meu filho, que foi um grande homem, trabalhador, uma pessoa batalhadora, muito querida e amada. Estou aqui após um ano e sete meses sendo homenageado por falar do meu filho. Isso é muito gratificante”, disse. A vereadora Ana Paula falou da luta dessas mães. “É uma homenagem para essas mães que mesmo com os braços vazios, retomam suas vidas e continuam sempre com a lembrança dos seus filhos dentro do coração, sempre”

Qual sua opinião?