Agentes iniciam capacitação que amplia o uso das tornozeleiras eletrônicas na Seap/RN

Agentes da Secretaria de Estado da Administração Penitenciária (Seap/RN) iniciaram, nesta semana, por meio da Central de Monitoramento Eletrônico (CEME), capacitação sobre o uso e instalação das tornozeleiras eletrônicas. O curso é voltado para agentes multiplicadores que levarão o conhecimento às unidades da região Seridó e Oeste do Rio Grande do Norte.

Atualmente, o Estado conta com 1.400 detentos monitorados na capital e interior pelo sistema do CEME/Seap, com pólos avançados de instalação e manutenção em Natal, Caicó, Jucurutu, Pau dos Ferros e Mossoró. De maneira geral, esses internos estão cumprindo medidas cautelares, restritivas ou progressão de pena para o regime semi-aberto.

A Seap/RN solicitou o fornecimento de mais 1.500 tornozeleiras para todo o estado, por meio de um contrato emergencial, o qual está sob análise na Procuradoria Geral do Estado. Quando aprovado, o número de detentos monitorados em tempo real será de quase 3.000.

Para o titular da Seap/RN, Pedro Florêncio Filho, o uso das tornozeleiras eletrônicas é um grande avanço para o sistema prisional do estado, tendo em vista a segurança gerada pelo monitoramento, a redução dos custos em manter o interno custodiado e a liberação de vagas no sistema.

“Tenho certeza que aquele homem que ganha o direito da progressão de pena e é uma pessoa que busca o retorno à sociedade, gostaria de sair com o monitoramento. Diferente daquele que deseja retornar para o crime e deve permanecer detido. Se houver um crime e o suspeito for um detido do semi-aberto, com o monitoramentos temos a condição de dizer se naquela hora, ele esteve na cena do crime”, comentou.

Qual sua opinião?