Outubro Rosa: Brasil deve ter 600 mil novos casos de câncer em 2018

O estilo de vida contemporâneo vem trazendo consequências para as pessoas. Fatores como: sedentarismo, alimentação baseada em produtos industrializados, falta de lazer, trabalho excessivo, tabagismo, alcoolismo, falta de visitas regulares ao médico, estresse tóxico, dificuldades emocionais e de relacionamento, podem são fortes agravantes que fazem parte da vida da maior parte da população mundial, e que além dos fatores de risco genéticos ajudam a aumentar a incidência do câncer.

Segundo dados divulgados pelo INCA (Instituto Nacional de Câncer) entre os dados mais assustadores está a incidência dos diversos tipos de câncer e não só o de mama. Estima-se que este ano somente de câncer de mama contabilizou mais de 60 novos casos a situação fica ainda mais alarmante quando é realizada a estimativa que diz que são 52 casos a cada 100 mil mulheres. O outubro rosa vem mostrando sua força principalmente porque a campanha gira em torno da necessidade da prevenção que ainda é a maior arma contra a doença.

Sabe-se que o câncer de mama é um tumor maligno que se desenvolve na mama como consequência de alterações genéticas em algum conjunto de células da mama, que passam a se dividir descontroladamente. Ocorre o crescimento anormal das células mamárias, tanto do ducto mamário quanto dos glóbulos mamários. Esse é o tipo de câncer que mais acomete as mulheres em todo o mundo, sendo 1,38 milhões de novos casos e 458 mil mortes pela doença por ano, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS). A proporção em homens e mulheres é de 1 para 100 – ou seja, para cada 100 mulheres com câncer de mama, um homem terá a doença. Segundo dados da Sociedade Brasileira de Mastologia, cerca de uma a cada 12 mulheres terão um tumor nas mamas até os 90 anos de idade.

Fonte: http://rbmlcomunicacao.com.br/

Qual sua opinião?