PF deflagra operação contra aplicadores do Enem por suspeitas de fraude

A Polícia Federal deflagrou neste sábado (9.nov.2019) Operação Thoth, em Fortaleza (CE), para investigar irregularidades no Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) realizado no último domingo (3.nov). As buscas e apreensões visaram duas aplicadoras da prova suspeitas do crime de fraude em certames de interesse público.

Com informações do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), a PF chegou à casa das mulheres que aplicaram o exame na última semana. Os agentes apreenderam os celulares das suspeitas para serem submetidos à perícia.

Segundo nota divulgada pela PF, as “investigações continuam para apurar todas as circunstâncias dos fatos”. O Inep e os policiais federais seguem investigando casos semelhantes relatados no Rio de Janeiro e na Bahia.

As duas suspeitas poderão ser indiciadas pelo crime de Fraude em Certames de Interesse Público, que pode acarretar em mais de 5 anos de prisão e multa.

De acordo com a PF, o nome da operação – Thoth – foi escolhido por ser o deus egípcio da escrita e da sabedoria. Ele seria, na cultura egípcia, o criador dos caracteres da escrita do Egito Antigo, os Hieróglifos.

“Thoth era também conhecedor da matemática, astronomia, magia e representava todos os conhecimentos científicos, o que traduz o universo em que estão envolvidos os candidatos do Enem”, explicou em nota.

Circulou nas redes sociais no último domingo (3.nov) uma imagem da página com a proposta de redação do exame. O Inep, à época, confirmou a veracidade da página. Já o ministro da Educação, Abraham Weibtraub, disse que a Polícia Federal iria investigar.

O Inep comunicou há uma semana, porém, que a foto foi divulgada após o início da aplicação da prova, o que não compromete o andamento da avaliação. O tema da redação foi democratização do acesso ao cinema no Brasil.

O Enem, que começou no último domingo (9.nov) e terá seu 2º dia de provas amanhã (10.nov). Com 5,1 milhões de inscritos, o número de participantes esperado é 7,5% menor do que o de 2018, quando 5,5 mi de estudantes fizeram a prova.

Poder 360

Qual sua opinião?